MINERAIS E ROCHAS


MINERAIS E ROCHAS

1 – Generalidades

A crosta terrestre é formada essencialmente de rochas, cujos constituintes são na maioria das vezes os minerais, podendo também os constituir-se dos chamados mineraloides, como o vidro vulcânico, o carvão ou outros compostos de origem orgânica.

1.1 Minerais – É um elemento ou um composto químico, via de regra, resultante de processo orgânico de composição química geralmente defendia e encontrado naturalmente na crosta terrestre. Os minerais em geral, são sólidos. Somente a água e o mercúrio se encontram no estado líquido, em condições normais de pressão e temperatura.

1.2 Rocha É um agregado natural formado de um ou mais minerais (podendo eventualmente tratar-se de um vidro vulcânico), que constitui parte essencialmente da crosta terrestre e é nitidamente individualizado. Por isso, as rochas ocorrem em extensões consideráveis na crosta terrestre, podendo, na maioria das vezes, ser representada em mapas geológicos. São elas nitidamente individualizadas, porque os minerais se agregam obedecendo as leis físicas, químicas ou físico químicas, dependendo das situações em que se formam esta ou aquela rocha. Esta agregação, portanto, não se da ao acaso. Não é necessário que a rocha seja consolidada. As areias, as argilas, etc., desde que representem corpos independentes, individualizados e extensos, são considerados rochas.


2 – Minerais

2.1 Propriedades físicas dos minerais

Estrutura
- Quase todos os minerais ocorrem no estado cristalino, no qual os átomos ou agrupamento de átomos são dispostos regularmente, segundo sistemas físicos e constantes, ou seja, conservando-se invariáveis as distâncias entre os átomos que se repetem, numa linha, assim como as fileiras dos átomos e ou entre os planos formados pelas fileiras e com planares. Assim, os átomos no cristal de hanita (sal de cozinha) são organizados de modo tal, que os iontes positivos de Na e os negativos de Cl se acham dispostos em uma rede cúbica (Fig.1-1).






FIG.1-1 Estrutura do cloreto de sódio. À esquerda observa-se a disposição cúbica alternada dos iontes de cloro e sódio, e á direita a mesma configuração, estando representados os diâmetros atômicos relativos dos dois iontes (seg. Gilluly et al.)



Também, para quase todos os outros minerais, se conseguiu determinar sua rede cristalina própria. Outra propriedade física que é função da estrutura cristalina é a forma do cristal. Dependendo das distâncias entre os átomos ou grupos de átomos nas três direções fazem entre si, os cristais são subdivididos em sete sistemas cristalinos: cúbico, tetragonal, trigonal, hexagonal, rômbico, monoclínico e triclínico.



Extraído do livro: Geologia Geral, Viktor Leinz & Sérgio Estanislau do Amaral, Cia Editora Nacional, 6ª. Edição, 1975, cap. II.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FLUXOGRAMA DE PROCESSO - SISTEMA DE ABSORÇÃO A TEG (TRIETILENOGLICOL)

Conheça o Curso on-line Hidráulica Offshore 360